Vendas de usados em Portugal "ignoram" pandemia e crescem pelo nono mês - TD Crédito

Fevereiro 25, 2021

Em contraciclo com a quebra de automóveis novos, as vendas de veículos usados continuam a crescer em Portugal, tendo em janeiro subido pelo nono mês consecutivo.

Numa altura em que as vendas de automóveis ligeiros de passageiros novos recuam, o mercado de usados em Portugal somou em janeiro o nono mês consecutivo de crescimento em termos homólogos, revela o Observatório Indicata.

O relatório analisa 12 países – Alemanha, Áustria, Dinamarca, Espanha, França, Holanda, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unido, Suécia e Turquia – e Portugal apresenta a segunda maior subida nas vendas de usados, com um crescimento de 12,4%, apenas superado por Itália (19,8%).

No conjunto dos 12 países o mercado de usados sofreu uma quebra de 16,4%, condicionado pelas restrições impostas devido à pandemia. O relatório assinala que “o recolher obrigatório está em vigor em França, Espanha e Itália e o comércio não essencial foi forçado a fechar na Dinamarca, Alemanha, Países Baixos, Reino Unido, e Portugal”.

As maiores quebras nas vendas de usados em janeiro foram observadas no Reino Unido (-40,4%), Turquia (-25,1%), Dinamarca (-22,7%) e Alemanha (-17,5%).

Entre os maiores mercados, além de Itália, França viu as vendas de usados aumentarem 5,1%, enquanto Espanha registou uma descida muito ligeira de 0,1%.

Mercado de usados em Portugal a crescer desde maio

O mercado de usados em Portugal registou em janeiro o nono mês consecutivo de aumento homólogo nas vendas, contrastando com as quebras observadas no mercado de automóveis novos.

Tal como sucede na maioria dos países, o mercado de usados continua a ser condicionado pela escassez de oferta, que decorre da quebra nas vendas de veículos novos, o que faz reduzir os automóveis entregues para retoma.

O crescimento mais expressivo em termos percentuais regista-se nos automóveis elétricos (177%) e híbridos (67%), mas estes veículos partem de uma base muito reduzida em termos de volume.


Na gasolina o crescimento cifrou-se em 36%, enquanto os automóveis a gasóleo registaram uma subida de apenas 1%.

Em termos de idade dos veículos vendidos, os carros com um ano de idade viram as vendas disparar 54% em janeiro. Também com crescimentos expressivos surgem os veículos com seis anos (29%), 10 anos (21%) e cinco anos (20%). 

Já os automóveis com nove e oito anos (-12% e -11%, respetivamente) registam as maiores quebras nas vendas. Seguem-se os carros com menos de um ano (-7%).

No que toca aos preços, a Indicata refere que “o início do ano viu o nosso índice de preços subir em linha com as tendências sazonais habituais, uma vez que os veículos com 3 anos que compõem a nossa amostra são repostos pelas primeiras matrículas de 2018, em comparação com as primeiras matrículas de 2017 rastreadas até ao final de 2020”.

Fonte: Jornal de Negócios

Outras Notícias

 

Dezembro 28, 2018

Novo Skoda Scala… quer subir na vida

Ler notícia

Março 27, 2018

As novidades do Salão de Genebra de 2018

Ler notícia

Março 11, 2022

Dicas para combater a inflação e poupar dinheiro

Ler notícia