UE estabelece regras rígidas para carros a combustível sintético até 2035: neutros em carbono ou fora do mercado? - TD Crédito

Outubro 16, 2023
A União Europeia está a traçar um caminho rigoroso para a aceitação de carros movidos a combustível sintético até 2035. Descubra as novas regras que exigem que esses veículos sejam 100% neutros em carbono e como essa mudança pode moldar o futuro da indústria automóvel.

A União Europeia (UE) está a dar passos significativos em direção a um futuro mais sustentável no setor automóvel. Recentemente, foi anunciado que a UE irá exigir que os automóveis movidos a combustível sintético cumpram o critério rigoroso de serem 100% neutros em carbono para serem elegíveis para venda a partir de 2035. Esta é uma mudança drástica que pode ter implicações profundas na indústria automóvel e no meio ambiente.

De acordo com informações da Reuters, a UE está a trabalhar num documento que visa regulamentar e restringir a presença de veículos movidos a combustível sintético no mercado europeu, a menos que cumpram o requisito de serem neutros em carbono. Mas o que significa exatamente ser “neutro em carbono”?

No contexto dos combustíveis sintéticos, a neutralidade em carbono significa que esses combustíveis são produzidos a partir de emissões de dióxido de carbono (CO2) capturadas, que compensam o CO2 emitido quando o combustível é queimado num motor. Essa abordagem procura reduzir significativamente o impacto ambiental dos veículos movidos a combustíveis sintéticos, tornando-os mais sustentáveis.

A decisão da UE de estabelecer esse critério rígido tem implicações importantes para a indústria automóvel. Anteriormente, já havia sido anunciado que a partir de 2035 só seriam permitidas as vendas de automóveis elétricos na UE, mas a Alemanha fez um pedido de exceção para veículos com motores de combustão. Esta exceção poderia abrir um leque de opções significativo para o futuro da indústria automóvel.

No entanto, a exigência de que esses veículos sejam neutros em carbono pode limitar a expansão dos carros a combustível sintético, uma vez que a produção desses combustíveis requer tecnologias avançadas de captura e armazenamento de CO2. Isto pode incentivar ainda mais a transição para veículos elétricos e outras fontes de energia mais limpas.

À medida que avançamos em direção a 2035, será interessante observar como a indústria automóvel se adapta a essas novas regulamentações da UE e como a tecnologia de combustível sintético evolui para atender aos rigorosos padrões de neutralidade em carbono. O resultado pode ser um mercado automóvel mais ecológico e alinhado com as metas de sustentabilidade da UE.

 

Fonte: Notícias ao Minuto

Outras Notícias

 

Março 27, 2018

Jaguar I-Pace: o SUV elétrico

Ler notícia

Novembro 16, 2018

Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada

Ler notícia

Junho 29, 2020

TAN e TAEG: afinal, quais as diferenças?

Ler notícia