Automóveis: o que se passa com o setor? - TD Crédito

Outubro 31, 2021
O panorama está a alterar-se: mais veículos elétricos e menos produção de automóveis.

Sabia que o automóvel mais vendido em setembro, na Europa, foi um elétrico?

O Tesla Model 3, com o preço a partir de 50.900€, tornou-se o primeiro elétrico líder de vendas de automóveis na Europa. A marca vendeu, no total, cerca de 24.600 exemplares.

Os restantes veículos mais vendidos foram o Renault Clio (com 18.300 veículos vendidos), o Dacia Sandero e o Volkswagen Golf, com mais de 17.500 exemplares vendidos.

 

Mais procura por automóveis híbridos e elétricos

Veículo elétrico a carregar

Mundialmente, a procura e interesse por veículos elétricos e híbridos tem aumentado visivelmente e o mercado europeu não é exceção.

Na Europa, no último trimestre, os veículos a gasolina tiveram menos vendas do que os híbridos, híbridos recarregáveis e elétricos, que representaram 20,7% do mercado europeu, segundo o relatório da ACEA.

A pensar nesta alteração de paradigma, a Hertz, uma empresa de aluguer de carros, encomendou 100 mil carros à Tesla. O objetivo é aumentar o número de automóveis elétricos, disponíveis a partir de novembro, nos Estados Unidos e em algumas cidades europeias.

Em Portugal, segundo a JATO Dynamics Portugal, até setembro foram registados 7829 veículos elétricos, ultrapassando já o número de veículos registados nos anos anteriores.

 

Produção reduzida e aumento do preço

Carros

Os componentes eletrónicos, por outro lado, têm sido um problema pela sua escassez, o que provocou uma redução da produção de automóveis.

Com a produção reduzida, os tempos de espera por um veículo novo têm aumentado, sendo que a estimativa mínima de espera ronda os 3 meses (e em muitos casos, ultrapassa largamente este prazo).

Este atraso e redução da produção impacta o preço para o consumidor final, uma vez que existem mais custos de produção, o preço final aumenta também.

Houve também um aumento de procura de carros usados (e preço). A oferta de carros novos limitada e o seu preço, acabou por impulsionar a compra de carros usados.

A Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel aponta os desafios para as empresas e consumidores: além do COVID-19 e da crise inerente, junta-se o custo das matérias-primas, cada vez mais alto (incluindo o dos componentes eletrónicos).

 

E soluções?

O problema reside na dependência da produção dos componentes elétricos na Ásia. A solução poderá também passar pela produção nacional dos componentes em falta.

A produção dos chips já foi iniciada por empresas como a Intel e outras que aumentaram a sua capacidade.

Os resultados do aumento da produção não serão imediatos, porém, segundo a Fitch, o equilíbrio da oferta e da procura só deverá ser atingido a meio do próximo ano.

 

Se está a pensar trocar de carro e precisa de recorrer a um crédito automóvel, fale connosco.

Outras Notícias

 

Janeiro 22, 2021

Venda de automóveis com queda “sem precedentes” na UE. Portugal destaca-se

Ler notícia

Outubro 27, 2019

Carro Europeu do Ano 2020: conheça os nomeados ao título

Ler notícia

Agosto 31, 2021

Sabe como poupar dinheiro no combustível do seu automóvel?

Ler notícia